Visitamos o programa de arte do SXSW 2019

Em visita ao maior festival de música e inovação do mundo, a revista Zupi aproveitou e fez o que mais gosta, conversou com artistas e visitou as instalações do programa de arte que o evento organiza todos os anos. Abaixo será possível ver 5 instalações do festival que mais gostamos.

Para começar logo no primeiro dia demos de cara com o artista mexicano Emmanuel Aspero, da empresa Cocolab. Especialista em soluções de mapping design e motion graphics eles foram convidados pelo evento para criar uma instalação com som e visuais gráficos animados. Veja abaixo algumas fotos da instalação.

Weaving by Cocolab

Weaving é uma instalação de luz, projeção mapeada e áudio, uma instalação da empresa mexicana Cocolab. Inspirada na criação de tecidos nos teares do México, o projeto audiovisual usa um “canvas” feito de cordas entrelaçadas resultando em uma forma geométrica. Os artistas querem passar o conceito que arte e tecnologia já existem e trabalham em parceria desde o início de nossa cultura.

Semeion by Circuit Circus

Semeion é uma instalação de luz e som em constante evolução que explora a inteligência artificial do ponto de vista estético e humanístico. Embora a IA já seja parte integrante de nossas vidas, ela geralmente existe como sistemas intangíveis trabalhando nos bastidores. Nesse projeto, a IA manifesta-se em várias grandes estruturas minimalistas, que individual e coletivamente respondem à presença humana. Em sua forma abstrata, evoca a relação humana através de seu comportamento. O espectador é convidado a esquecer suas pré conceitos sobre IA, e se envolver com ele de uma forma exploradora e curiosa.

O trabalho é apoiado por Catch, Festival de Roskilde e pelo Ministério da Cultura, Dinamarca.

Blooming by Lisa Park

Lisa Park é uma artista coreana-americana que usa sensores biométricos, como sensores de freqüência cardíaca e ondas cerebrais, para criar ambientes íntimos que exploram estados emocionais ocultos, como vulnerabilidade, intimidade e confronto. Blooming destaca a importância da presença e conexão física em nossas vidas. A instalação, que assume a forma de uma flor de cerejeira em tamanho natural, responde ao contato físico entre dois a quatro participantes. Quando os participantes se postam diante da árvore e dão as mãos ou abraçam, a árvore florescerá; quando forem lançados, o estado de pré-florescimento será afetado.

O trabalho do Park é aprimorado por uma pesquisa avançada no Nokia Bell Labs com a tecnologia de sensores que permite a detecção e a determinação do contato entre as pessoas. Blooming foi desenvolvido durante o programa de Residência Artística Experimental em Arte e Tecnologia (E.A.T) 2017-2018 no Nokia Bell Labs, em colaboração com a NEW INC, um programa do New Museum.

EVERY THING EVERY TIME by Naho Matsuda

Não tinha como não reparar andando nas ruas de Austin o trabalho de Naho Matsuda: “TODAS AS COISAS TODAS AS VEZES” transformam dados urbanos em poesia apresentada em uma tela mecânica de grande escala e hipnotizante. A instalação é baseada em fluxos de dados gerados pelos muitos eventos que acontecem todos os dias na cidade. Os transeuntes podem ver como a poesia é escrita em tempo real e revelada em uma tela com abas separadas. A obra investiga conceitos da ‘cidade inteligente’, questionando noções de privacidade, uso e o papel que os dados têm em nossas vidas.

O trabalho faz parte do programa Arte e Cultura do Futuro no SXSW, apresentado pela British Underground e apoiado pelo Arts Council England. A instalação foi encomendada pela primeira vez em Manchester (Reino Unido) como parte do CityVerve – um projeto que cria ideias para as cidades mais inteligentes em todo o mundo.

APPARATUM by PanGenerator – Krzysztof Cybulski, Krzysztof Goliński, Jakub Koźniewski

O APPARATUM foi inspirado na herança do estúdio polonês de rádio experimental – um dos primeiros estúdios do mundo produzindo música eletroacústica. Esta instalação utiliza geradores de som analógicos, baseados em fita magnética e componentes ópticos controlados através de uma partitura gráfica composta por interface digital. Apesar de parecer bem bacana, fomos umas duas vezes nessa instalação, na tentativa de conectar com os criativos, mas sem sucesso, também não tivemos uma experiência muito boa, pois não deu muito para entender o funcionamento da instalação.

Artistas participantes

 

  1. Cocolab
  2. Circuit Circus
  3. Lisa Park
  4. Naho Matsuda
  5. PanGenerator (Krzysztof Cybulski, Krzysztof Goliński, Jakub Koźniewski)

 

Share on facebook
Share on pinterest
Share on twitter
Share on linkedin

Toda semana, uma enews com um incrível artigo
que vai surpreender sua mente criativa.

Submit

Cadastre seu email.

Fique de olho em nossas redes sociais. Siga a gente no Pinterest, Twitter, Facebook & Instagram.

A Zupi é a revista oficial do Pixel Show, o maior festival da América Latina de criatividade.

ENTRE EM CONTATO

TELEFONE:
+55 11 3926-0174
+55 11 96569-8348 (Whatsapp)

ENDEREÇO

Rua Conde de Irajá, 208 –
Vila Mariana, São Paulo – SP,
CEP: 04119-010

ATENDIMENTO

Via Ticket, Chat, eMail ou Telefone
Segunda – Sexta
9h – 18h

Conteúdo

...