O graffiti conquista as pessoas nas ruas e devido à qualidade dos artistas brasileiros, a técnica dominou, para além do ambiente público, as galerias e museus do nosso país. Mas, por que não as universidades?

Com o propósito de trazer mais arte aos ambientes de ensino, o projeto Parede Viva (já exposto aqui na Zupi), idealizado por Thiago Mundano, surgiu no ano passado para aproximar os jovens dessa técnica.
A ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing) foi à primeira entidade a abrir as portas.

Ao rodar por lá, você nota que os traços coloridos deixaram o clima inspirador ao substituir uma aparência cercada por tons brancos.

Os artistas Whip, Enivo e Ronah foram convidados para pintar murais dentro da faculdade. O melhor é que, após um concurso de desenho, os alunos selecionados tiverem a oportunidade de aprender conceitualmente e na prática com artistas experientes, como Tinho e Cranio. Após as aulas, cada um transportou seus desenhos para a parede.

Duas oficinas já foram realizadas, a intenção é sempre renovar os murais e ensinar a técnica aos jovens. “A oportunidade que o Parede Viva conseguiu proporcionar foi ímpar, trazendo uma arte urbana realizada em espaços públicos para um lugar totalmente novo”, contou Liis Kozemekina, uma das participantes. Para registrar o resultado, uma exposição com as artes concretizadas em 2011 foi realizada e você pode conferir algumas das criações abaixo. A pergunta que fica é: quais são as próximas paredes a ganhar vida?

+ Informações

Parede Viva

Compartilhe via...

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Abasteça com ideias lendo novas histórias abaixo