MOVNI, Rap experimental e atualização constante

[vc_row][vc_column][vc_column_text]

A Música Orbital Viajante Não Identificada – ou MOVNI – tem como bandeira a liberdade criativa na construção de suas canções, sem padrões preestabelecidos, com riqueza de elementos sonoros. O trio brasiliense escreve em conjunto ao mesmo tempo que cada integrante tem trabalhos solo, sempre levando a marca da MOVNI consigo. Formada por Afroragga, Nauí e Doctor Zumba, a MOVNI lançou no ano passado seu primeiro álbum de forma independente.

O álbum Laboratório é uma peça conceitual que ambienta as 10 faixas no que eles chamam de “Mundo MOVNI”, um laboratório criado para realizar experimentos sonoros com a finalidade de inovar, configurando novas perspectivas para o mundo da música e da mente. “Buscamos estender o estilo temperando as bases 4/4 com elementos diferenciados mesmo que sutis em algumas das canções do álbum, conta Afroragga. “O MOVNI busca ser livre e ilimitado em seu processo criativo, então quisemos começar com um lançamento que passaria um conceito de liberdade e experimentalismo. Achamos Laboratório um bom título para remeter a isso”, continua.

Situando sua música no universo do rap experimental, a MOVNI mistura música eletrônica com reggae e rock para criar sua “música orbital”, diversificando o processo criativo, com cada membro tendo total liberdade para apresentar ideias para as bases e arranjos definidos. “O processo criativo é diversificado, definimos uma numeração X de bases/arranjos para cada membro, que teria total liberdade para apresentar uma ideia dentro do conceito do Laboratório. As letras são pessoais e cada um traz a sua. Antes de escrever a letra sempre debatemos o tema para ter maior consistência na hora da composição”.

[/vc_column_text][vc_empty_space][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]

MOVNI[/vc_column_text][vc_empty_space][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]

Como todo artista independente, os caras fazem todo o trabalho, desde a produção de um novo single ao agendamento de um show. A batalha mais forte rola na internet, onde o dia-a-dia é de atualização. “É desafiador pois é necessário buscar informações e se educar constantemente”, afirma Afroragga. Uma das formas que encontraram para estarem sempre atuais e aumentar a base de fãs, foi o desafio de toda terça-feira mostrar um som novo no site. Até o momento, já subiram no canal do Youtube 5 canções, produzidos por vários nomes da cena local do DF, como Loko do Cerrado, Velvo e DJ Jr Kill, além de parcerias diversas com outros artistas.

“Mesmo sendo independente chega um ponto em que uma equipe se forma ao redor do projeto musical – uma equipe que vai do sistema de som ao processo de publicidade. A diferença é que sendo independente você precisa saber o que realmente necessita e estar atento as ações e resultados para sempre saber como proceder nos próximos passos porque não terá nenhuma multinacional para cobrir os seus erros”, finaliza.

Baixe no qrcode o álbum Laboratório na íntegra e confira o som da MOVNI.

[/vc_column_text][vc_empty_space][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/2″][vc_column_text]www.movni.com.br

www.qrtunes.com/[/vc_column_text][vc_single_image image=”111186″][/vc_column][vc_column width=”1/2″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/2″][/vc_column][vc_column width=”1/2″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][/vc_column][/vc_row]

Compartilhe via...

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Abasteça com ideias lendo novas histórias abaixo