SHOP  •  PIXEL SHOW  •  CONFERÊNCIA  •  PROGRAMAÇÃO

MaestraPeace: Um mural sobre mulheres pintado por mulheres

Durante as décadas de 60 e 70, os Estados Unidos passaram por um momento de reflexão e reivindicação dos direitos civis, principalmente norteado pelos movimentos de negros americanos. Além desses, as mulheres também fortaleceram a organização em busca de seu posicionamento e valorização na sociedade americana.

Nesse contexto, em 1971, surgiu o Prédio das Mulheres (The Women’s Building), em San Francisco (CA). Ele foi fundado pelas mulheres visionárias para ser um centro de encontro entre os projetos feministas já existentes na época. O prédio atual foi comprado em 1979 e se transformou na primeira comunidade operada e pertencente somente a mulheres.

O prédio funciona, mesmo, como uma casa para as mulheres, pois abriga diversos programas sociais que atendem diferentes necessidades. A construção é também um cartão postal de San Francisco por conta de seus murais multicoloridos pintados em 1984 e restaurados ao longo dos anos, conhecidos como MaestraPeace Mural.

Além de ser incrivelmente lindo, o mural tem sua relevância social: como não poderia deixar de ser, os dois lados do Women’s Building que constituem o MaestraPeace Mural foram pintados apenas por mulheres. Além disso, as sete artistas retrataram naquele concreto outras mulheres e figuras femininas importantes para a história da luta dos direitos das mulheres e também símbolos que representam a liberdade e a igualdade de gêneros.

As artistas são: Juana Alicia, Miranda Bergman, Edythe Boone, Susan Kelk Cervantes, Meera Desai, Yvonne Littleton and Irene Perez.

Confira:

maestrapeace-zupi1(Foto: Anthony Byrd / The Women’s Building)

 

maestrapeace-zupi2No topo dessa fachada está desenhada Rigoberta Menchu, vencedora do prêmio Nobel da Paz de 1992 por seu trabalho social em defesa dos povos indígenas na Guatemala (Foto: The Women’s Building)

maestrapeace-zupi4(Foto: Anthony Byrd / The Women’s Building)

maestrapeace-zupi5Coyolxauhqui, deusa asteca da lua, nascendo da mão de Rigoberta Menchu

maestrapeace-zupi6(Foto: The Women’s Building)

maestrapeace-zupi7(Foto: The Women’s Building)

maestrapeace-zupi8Yemanjá, orixá Yourbá que inicialmente representava os rios e águas doces, a fertilidade e a vida, a mãe de todas as formas de vida. Depois da diáspora africana, ela se tornou a mãe das águas salgadas, dos oceanos.  (Foto: The Women’s Building)

maestrapeace-zupi9Mãos unidas de Audre Lorde, poeta, escritora e ativista dos direitos das mulheres e de Lillian Ngoya, líder do movimento de resistência na África do Sul. (Foto: The Women’s Building)

maestrapeace-zupi10Homenagem às mulheres presas ao redor do mundo por suas visões políticas e crenças. (Foto: The Women’s Building)

 

 

Compartilhe via...

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn