CLUBE  •  PIXEL SHOW  •  CONFERÊNCIA  •  PROGRAMAÇÃO  •  SKETCH  •  FEIRA

Joost Korngold
Holanda

 

[Zupi] Como você começou a se interessar por arte? Quando criança, você assistia a desenhos animados, jogava videogames? Se sim, poderia nos dizer alguns que foram especialmente significantes?

Quando era criança ficava curioso pelo modo como os desenhos das revistas em quadrinhos eram feitos. Gostava do Homem-Aranha, X-Men e muitos outros quadrinhos da Marvel, DC e Image, com os quais cresci. Também gostava muito de animes japoneses, como os clássicos Akira, Ghost in a Shell, etc. Quanto aos videogames, adoro a arte da série Final Fantasy, Metal Gear Solid e Devil May Cry.

[Zupi] Há quanto tempo você se interessa por motion graphics? Como foram seus primeiros contatos com esse campo criativo e quando você decidiu que era isso que gostaria de fazer profissionalmente?

Quando comecei a usar softwares de 3D, no final dos anos 1990, criava apenas arte abstrata. Eu sequer conseguia modelar uma xícara de café, para ser sincero… mas conforme fui aprendendo comecei também a experimentar com ferramentas de animação, aplicando-as às formas abstratas que criava.

Realmente gostei desse novo campo e das possibilidades que ele me dava para animar mundos abstratos. Então tudo acabou sendo uma progressão natural pra mim.

Fui abordado pela Crispin Porter Bogusky para trabalhar em cinco comerciais de televisão em Nova York, baseados em uma série de imagens que eu havia criado para a Digital Vision (atualmente Getty Images), e também toquei um projeto freelance para a Nike, com a Postpanic, de Amsterdã. Depois desses projetos decidi me dedicar a esse campo profissionalmente, como freelancer.

 

[Zupi] Você possui alguma educação formal em design ou animação? Acha que essa é uma questão importante?

Sou formado em design gráfico e industrial, autodidata em 3D e motion graphics.

Acho que é importante possuir o entendimento básico sobre design e seus princípios. Diagramação, tipografia etc. Mas há muita gente nessa área que é completamente autodidata.

[Zupi] Você trabalha com imagens estáticas e em movimento. Em sua rotina de trabalho, quais são as especificidades de cada tipo, considerando o processo criativo (tempo gasto, insight, idealização, produção, pós-produção etc)?

Isso depende muito do tipo de projeto. Não existe um “jeito certo” de se abordar isso, porque os tipos de projeto variam bastante. Criar uma imagem estática, por exemplo, pode levar o mesmo tempo que criar uma animação de 30 segundos.

Mas, tipicamente, para imagens estáticas em 3D você começa com pranchas de temperamento, rascunhos, produção 3D e finalmente retoques de pós-produção.

Com animação é basicamente a mesma coisa, mas você trabalha com storyboards, animatics e fases de pré-visualização, frequentemente acompanhado por um designer de som.

 

[Zupi] Você já criou trabalhos para clientes das mais diversas áreas. Como conseguiu os insights para jobs com temas e abordagens tão variadas? E qual o seu tipo de trabalho favorito?

Isso geralmente acontece com uma boa colaboração com seus clientes. Entender o que eles querem e poder passar isso para eles. É realmente um processo de mão dupla.

Meus projetos favoritos são os que me dão liberdade criativa suficiente – se não total (risos).

[Zupi] Em seu site há uma citação que diz: to put everything in balance is good, to put everything in harmony is better (deixar tudo em equilíbrio é bom, deixar tudo em harmonia é melhor). Essencialmente, o que diferencia um do outro? Como alguém pode aplicar esse conhecimento à área de motion design, especificamente?

Isso não é como uma prática que você pode simplesmente aplicar se possuir o conhecimento. É uma filosofia, um sentimento, uma ambição abstrata para atingir em seu trabalho e em sua vida.

 

[Zupi] O que te inspira em sua rotina diária? E o que te serve como referência em seus trabalhos?

Essa é sempre uma pergunta difícil se você não quer uma resposta padrão como tantas outras por aí.

Gosto muito de arquitetura, arte minimalista, tipografia… longos percursos em meu carro, amigos, família e meu gato quando não fica mendigando comida o dia todo.

[Zupi] O que você está fazendo atualmente? E quais seus planos para o futuro?

Acabo de finalizar alguns bons projetos, e atualmente estou procurando por novos. Mas com certeza essa resposta irá mudar, dependendo de quando você ler essa entrevista.

Espero no futuro poder continuar trabalhando nesse campo e criar trabalhos memoráveis.

 

[Zupi] O que uma pessoa precisa fazer para se tornar um bom motion designer?

Você com certeza precisa do conhecimento técnico, muita prática para ganhar experiência e algum talento. Mas o mais importante é se divertir com o que faz.

 

 

+ Informações:
Site: Renascent – Joost Korngold

Compartilhe via...

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn