Graças à impressão 3D, grávidas deficientes visuais são capazes de “sentir” os ultrassons dos filhos

Aos 30 anos e cega desde os 17, Tatiana Guerra nunca achou que seria capaz de “ver” Murilo, o filho que está esperando. Graças à marca de fraldas Huggies e à tecnologia de impressão 3D, ela foi capaz de sentir cada detalhe do rosto do bebê vivendo dentro de sua barriga.

Screen Shot 2015-05-08 at 17.07.30

Durante a gravidez, os exames de ultrassom – que permitem que os pais e médicos vejam e analisem cada detalhe dos pequenos corpos ainda não nascidos – são momentos especiais. Sem poder enxergar, no entanto, a experiência de Tatiana costumava ser diferente.

De surpresa, os médicos da mãe e do filho imprimiram o ultrassom de Murilo numa impressora 3D e o entregaram à Tatiana – que havia previamente contado de suas expectativas e desejos para o neném que está por vir.

huggies-3d-zupi thumb-huggies-3d

A reação dela é muito emocionante. A ação faz parte de uma série da marca de fraldas Huggies para o dia das mães – e conta com outros vídeos de mais mães deficientes visuais tendo essa mesma oportunidade.

blind-pregnant-woman-first-look-unborn-son-3d-printing-ultrasound-huggies-9 (via)

Assita a esse e mais outros vídeos da série:

 

Feliz dia das Mães!

Compartilhe via...

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Abasteça com ideias lendo novas histórias abaixo