Disquetes viraram retratos impressionantes

A memória em nuvem está mudando a maneira como pensamos a tecnologia. Graças aos rápidos avanços no armazenamento, os dias dos discos rígidos estão acabando. Mas o que acontece com todos estes itens tecnológicos agora obsoletos?

Estes, muitas vezes transformado em lixo eletrônico, está no coração do trabalho do artista britânico Nick Gentry. Coletando disquetes, fitas VHS e outros, ele usa os objetos como matéria prima e telas não convecionais para seus trabalhos. Gentry pinta mulheres, usa negativos de filmes como pinceladas e até CDs antigos quebrados como forma de levar os temas a devaneios holográficos.

Uma das partes mais curiosas do portfólio do artista, é seu trabalho com disquetes. Os pequenos quadrados são rotulados com seus usos anteriores, seja um jornal da escola ou uma apresentação de trabalho. Quando colocados juntos, eles marcam um tempo que não retornará, já que não são compatíveis com tecnologia atual. Embora avanços tecnológicos sejam positivos, colecionar produtos como este é guardar um pouco da história, um lembrete sobre a rapidez com que o tempo passa.

Share on facebook
Share on pinterest
Share on twitter
Share on linkedin

Toda semana, uma enews com um incrível artigo
que vai surpreender sua mente criativa.

Submit

Cadastre seu email.

Fique de olho em nossas redes sociais. Siga a gente no Pinterest, Twitter, Facebook & Instagram.

A Zupi é a revista oficial do Pixel Show, o maior festival da América Latina de criatividade.

ENTRE EM CONTATO

TELEFONE:
+55 11 3926-0174
+55 11 96569-8348 (Whatsapp)

ENDEREÇO

Rua Conde de Irajá, 208 –
Vila Mariana, São Paulo – SP,
CEP: 04119-010

ATENDIMENTO

Via Ticket, Chat, eMail ou Telefone
Segunda – Sexta
9h – 18h

Conteúdo

...