Portfolios de artistas, designers, ilustradores, diretores de arte, artistas plásticos, arquitetos, publicitários, colecionismo, fotografia, animação, zupi tv e outros

Versões alternativas do Mickey

Falecido em 2002, Ward Kimball foi um dos animadores da Disney. Sempre bem humorado, ele gostava de fazer as pessoas darem risadas. Deve ter sido em alguma tarde de 1985, que Kimball teve uma ideia genial: desenhar versões alternativas do Mickey Mouse, inspirado em filmes, pintores e características humanas. Clique e veja.

“Walking” por Julie Opie

Nascido em Londres, o ilustrador Julian Opie já foi responsável por ilustrar a capa do disco “The Best Of (2000)” da banda “Blur”. Em sua série de trabalhos “walking”, Opie utiliza ilustração e animação para mostrar pessoas caminhando. Os pedestres eletrônicos não param de caminhar, às vezes no sentido contrário da maioria dos pedestres reais, trazendo uma crítica e mostrando que existem outros caminhos para seguir. Clique e veja.

Nina Pandolfo

Nina Pandolfo começou pintando telas e folhas. Depois de conhecer a arte do graffiti nas ruas de São Paulo, ela começou a fazer um trabalho de street art. Junto com os Gêmeos e o artista Nunca, ela pintou a fachada de um castelo na Escócia, em 2007. Aqui você confere o trabalho lúdico de Nina, ao pintar meninas de olhos grandes, remetendo a infância, a sensualidade e a delicadeza feminina. Para adquirir uma das obras dela, você terá que desenbolsar no minímo 17 mil libras, o que dá quase R$ 60,000. Clique e veja.

Arte de Gordon Cheung

Gordon Cheung é um artista diferenciado nas suas pinturas por usar imagens de natureza, do ciberespaço, graffiti e pinturas históricas. A partir dessas imagens, Cheung cria uma civilização em colapso global. As cores vibrantes entram em contraste com o preto e branco ou os tons em sépia de suas obras, tornando assim o cenário ainda mais surreal. Clique e veja.

Corpos na água

Influenciada pelas pinturas de Francis Bacon e Jenny Saville, Sarah Harvey faz pinturas muito interessantes de imagens de corpos na água. O efeito de transparência, luz refletida e movimento da água são impressionantes, como se estivéssemos diante de fotografias. Suas pinturas se encaixam perfeitamente na definição de hiper-realistas. Clique e veja.

Ghetto Biennale

Latas, pedaços de madeira, peças de computador, pneus… Os escultores da Grand Rue fazem arte com objetos usados no dia a dia. A Ghetto Biennale, realizada em Porto Príncipe, no Haiti, organizada pelos Atis Rezistans, já entra na sua 4° edição. Clique e veja.

Pinturas aquáticas de Katharine Harvey

As pinturas a óleo da artista Katharine Harvey impressionam pelo grau de semelhança com a realidade. Na série temática “Water”, a artista parece se entregar de corpo e alma para reproduzir com perfeição o movimento das ondas do mar ou o movimento da água em lagos. Vistas tanto de fora da água, quanto por dentro, Harvey nos convida a mergulhar em cada uma de suas obras. Clique e confira.