Em 2001 nasceu a Zupi com o foco em promover, inspirar e registrar os melhores artistas e criativos do Brasil e do mundo. Com curadoria de Allan Szacher, mais de 200 colaboradores espalhados no mundo e com uma equipe de criativos multidisciplinares a revista cresceu, saiu da internet, foi para o papel, é bilingue (inglês e português), distribuida em mais de 22 paises, encontrada nas redes sociais, em Apps de conteúdo, com centenas de milhares de leitores, criou o Pixel Show (maior festival de criatividade da América Latina), fundou a Zupi Academy (formando mais de 8 mil alunos no Brasil com diversos cursos e workshops), lançou livros de arte, revistas customizadas, fez curadorias de conteúdo para diversas marcas e muitas exosições e a cada ano tem lançado novos projetos culturais diferenciados com apoio de grandes marcas inovadoras.

Tipografia dos Jogos Olímpicos 2016

Tão logo acabaram as Olimpíadas de Londres, a tipografia dos Jogos Olímpicos de 2016 já foram reveladas. A maioria das letras sugere os movimentos dos atletas em ação, outras seguem o formato de elementos conhecidos do Rio de Janeiro, como o Cristo Redentor e até mesmo os desenhos das calçadas. A tipografia foi criada pelo estúdio Dalton Maag, em parceria com a Tátil design. No total, 5.448 caracteres foram desenvolvidos.

O que é o glitch?

A estética glitch vem reunindo cada vez mais adeptos no campo da arte. Nela, erros e defeitos tecnológicos são explorados na produção de imagens que subvertem a bolha de previsibilidade e determinação que os códigos tecnológicos preservam. O brasileiro José Irion Neto, a holandesa Rosa Menkman e o norte-americano Phillip Stearns são alguns expoentes dessa nova estética – conheça seus trabalhos.

Objetos cabeludos

Na série Hairy Objects, a artista chinesa Hong Chun Zhang faz um implante de cabelos em diversos objetos, que vão de hambúrgueres a fitas K7 e rolos de papel higiênico. Sua intenção é brincar com humor, beleza e nojo, usando o cabelo como fio condutor dessas ideias. Veja aqui este trabalho surreal.

Ballpit, de Kyle Mowat

Ballpit é a tese de conclusão de curso de Kyle Mowat, artista canadense do audiovisual que apresenta aqui um vídeo deliciosamente fluido e abstrato. Cores e formas se desenrolam em mutação e multiplicação inconstantes, acompanhadas por trilha sonora insana de Lido Pimienta. Assista aqui ao vídeo.

Arte digital de Antoni Tudisco

Design é arte? O alemão Antoni Tudisco diz que não, e faz questão de separar o joio do trigo. Mas, se na teoria a distinção funciona, na prática não é bem assim: afinal, as composições digitais de sua série “Kill Art, Trust Design” seriam obras de design ou de arte? Enquanto a pergunta permanece sem resposta, os trabalhos brilham. Clique e veja.

A Catedral das Tranqueiras

Vince Hannemann, mais conhecido como Junk King, vem coletando materiais e objetos descartados há mais de 20 anos, construindo com eles uma enorme catedral de lixo no meio do mato, em Austin, Texas. Assista aqui ao vídeo que conta os detalhes da curiosa empreitada e apresenta essa figura que é o Rei das Tranqueiras.

Novas de Jacob Livengood

Jacob Livengood, artista norte-americano que já esteve aqui antes, volta para mostrar o que tem feito neste ano de 2012, até agora. Entre trabalhos pessoais e comerciais, há novas pinturas e ilustrações que dão continuidade ao estilo característico de Livengood. Clique para ver.