Em 2001 nasceu a Zupi com o foco em promover, inspirar e registrar os melhores artistas e criativos do Brasil e do mundo. Com curadoria de Allan Szacher, mais de 200 colaboradores espalhados no mundo e com uma equipe de criativos multidisciplinares a revista cresceu, saiu da internet, foi para o papel, é bilingue (inglês e português), distribuida em mais de 22 paises, encontrada nas redes sociais, em Apps de conteúdo, com centenas de milhares de leitores, criou o Pixel Show (maior festival de criatividade da América Latina), fundou a Zupi Academy (formando mais de 8 mil alunos no Brasil com diversos cursos e workshops), lançou livros de arte, revistas customizadas, fez curadorias de conteúdo para diversas marcas e muitas exosições e a cada ano tem lançado novos projetos culturais diferenciados com apoio de grandes marcas inovadoras.

Exist playing cards, por Rita Orlov

A artista Rita Orlov criou um jogo de cartas com famosos filósofos existencialistas. As ilustrações são a face da carta e as frases são os números. As cartas foram desenhadas a caneta e tinta e coloridas digitalmente. Quem tiver interesse em comprar, é só entrar em contato com a Rita Orlov. Entre os filósofos estão Albert Camus, conhecido por seu absurdismo, e Jean-Paul Sartre, famoso por seus teorias existencialistas.

Intervenções de Thiago Neumann

Thiago Neumann é um artista sergipano (também conhecido como “Cachorrão”), que faz intervenções artísticas em fotografias e ilustrações para capas de discos e cartazes. Em parceria com a Snapic fotografias (composta por dois jovens sergipanos – Arthur Soares e Victor Balde – que acreditam friamente na fotografia e na música), Neumann fez intervenções muito legais em fotos! Confira!

Arquitetura fantástica

Victor Enrich é um fotógrafo espanhol que, profundamente interessado por arquitetura, fotografa prédios e construções que depois manipula digitalmente para propor uma arquitetura revisada, fantástica. Conheça suas propostas, que vão do inusitado ao surreal.

Graffiti animado por INSA

Parece que o artista inglês INSA, que ano passado havia experimentado animar um de seus graffitis, realmente gostou da ideia. É que ele vem explorando cada vez mais a fusão dessas duas linguagens, o graffiti e o gif animado, resultando em trabalhos elaborados que capturam nosso olhar. Clique para ver.