Em 2001 nasceu a Zupi com o foco em promover, inspirar e registrar os melhores artistas e criativos do Brasil e do mundo. Com curadoria de Allan Szacher, mais de 200 colaboradores espalhados no mundo e com uma equipe de criativos multidisciplinares a revista cresceu, saiu da internet, foi para o papel, é bilingue (inglês e português), distribuida em mais de 22 paises, encontrada nas redes sociais, em Apps de conteúdo, com centenas de milhares de leitores, criou o Pixel Show (maior festival de criatividade da América Latina), fundou a Zupi Academy (formando mais de 8 mil alunos no Brasil com diversos cursos e workshops), lançou livros de arte, revistas customizadas, fez curadorias de conteúdo para diversas marcas e muitas exosições e a cada ano tem lançado novos projetos culturais diferenciados com apoio de grandes marcas inovadoras.

Vinyl+

Vinyl+ / Expanded Timecode Vinyl é o projeto experimental de Jonas Bohatsch, estudante de Arte Digital da University of Applied Arts, em Viena, Áustria. A instalação esteve recentemente em São Paulo, no Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (FILE), e agrega elementos visuais e interativos a um equipamento de discotecagem.   vinyl+ • Expanded Timecode Vinyl…

Aristocracia fast food

Indo do luxo ao lixo, a norte-americana Kim Alsbrooks criou a provocativa série White Trash, na qual fixa reproduções de retratos de nobres do século 18 em suportes de fast food – pacotes de batata frita, copos de refrigerante – e latas de cerveja. Após viver um tempo no Sul dos Estados Unidos, Kim ficou…

Dança & longa exposição

Dança é a arte do movimento. Buscando captar toda a sua graça e fluidez, o fotógrafo Bill Wadman decidiu fugir dos usuais retratos que congelam os passos ensaiados, registrando-os com efeitos de longa exposição. As imagens resultantes compõem o projeto Motion, e nelas podemos acompanhar o caminho traçado por cada parte do corpo dos bailarinos.…

Carne e pele a lápis

Cath Riley é uma artista inglesa capaz de criar desenhos a lápis que impressionam por seu realismo. Ela não é a única, mas sem dúvida é das melhores. Seus traços de grafite – em especial na série Flesh – capturam com impressionante perfeição a textura da pele e a consistência da carne humana. Confira abaixo…

Cenas em slow motion

Dirigido por Philip Heron e James Adair, Tempus II mostra diversas cenas em slow motion, evidenciando toda a beleza e bizarrice de ações em câmera lenta. Manobras de skate, objetos sendo destruídos, líquidos sendo misturados… não tem como não ver e adorar. Tempus II from Philip Heron on Vimeo. Via  

Nollywood, o cinema nigeriano

Você sabe qual é a terceira maior indústria cinematográfica do mundo? A Nigéria. Com uma produção crescente, o país africano realiza, desde o final da década de 1990, mais de mil filmes por ano. E não são apenas os números que chamam a atenção em “Nollywood”; extremamente informal, o mercado possui características, de fato, curiosas.…

Blu strikes again

Widely known for his innovative stop motion films and his provocative urban art, street artist Blu striked again, this time painting a huge mural in Madrid, Spain. The work depicts some kind of sordid circle play, lacking the usual innocence of the infant game. Photos: Alberto de Pedro  

Blu ataca novamente

Conhecido por seus ousados curtas em stop-motion e sua arte provocativa, o artista Blu atacou novamente, desta vez pintando um enorme mural em Madri, na Espanha. A obra retrata uma espécie de ciranda sórdida, que não guarda nem um pouco da inocência comum à brincadeira infantil.   Fotos: Alberto de Pedro

Câmeras de papelão

Kiel Johnson é um conhecido pintor e escultor norte-americano. Suas obras mais notáveis – e curiosas – são as câmeras fotográficas de papelão que cria com enorme riqueza de detalhes. Indo de polaroids às twin-lens reflex (TLR), passando pelas single-lens reflex (SLR), Johnson dá vida às suas obras com impressionante perfeição.  Veja abaixo essas esculturas:…