Em 2001 nasceu a Zupi com o foco em promover, inspirar e registrar os melhores artistas e criativos do Brasil e do mundo. Com curadoria de Allan Szacher, mais de 200 colaboradores espalhados no mundo e com uma equipe de criativos multidisciplinares a revista cresceu, saiu da internet, foi para o papel, é bilingue (inglês e português), distribuida em mais de 22 paises, encontrada nas redes sociais, em Apps de conteúdo, com centenas de milhares de leitores, criou o Pixel Show (maior festival de criatividade da América Latina), fundou a Zupi Academy (formando mais de 8 mil alunos no Brasil com diversos cursos e workshops), lançou livros de arte, revistas customizadas, fez curadorias de conteúdo para diversas marcas e muitas exosições e a cada ano tem lançado novos projetos culturais diferenciados com apoio de grandes marcas inovadoras.

As esculturas de vidro de Stanislav Libenský e Jaroslava Brychtová

A fragilidade e força, a saturação e a transparência das cores, a sensibilidade de iluminar e refletir do material sempre foram levado em consideração na hora de compor as peças. Apesar da formação clássica dos dois, eles sempre estiveram expostos a ideias mais novas e menos tradicionais, e tinham perspectiva internacional numa época em que a informação era limitada – nasceram e viveram na Tchecoslováquia na época da Guerra Fria.