Em 2001 nasceu a Zupi com o foco em promover, inspirar e registrar os melhores artistas e criativos do Brasil e do mundo. Com curadoria de Allan Szacher, mais de 200 colaboradores espalhados no mundo e com uma equipe de criativos multidisciplinares a revista cresceu, saiu da internet, foi para o papel, é bilingue (inglês e português), distribuida em mais de 22 paises, encontrada nas redes sociais, em Apps de conteúdo, com centenas de milhares de leitores, criou o Pixel Show (maior festival de criatividade da América Latina), fundou a Zupi Academy (formando mais de 8 mil alunos no Brasil com diversos cursos e workshops), lançou livros de arte, revistas customizadas, fez curadorias de conteúdo para diversas marcas e muitas exosições e a cada ano tem lançado novos projetos culturais diferenciados com apoio de grandes marcas inovadoras.

Corações de Francis Baker

O artista e fotógrafo Francis Baker resolveu utilizar o coração como tema central em suas fotos na série “The Heart Itself”. São corações produzidos com diferentes materiais e em diferentes situações, representando diversas emoções. Corações como coquetel molotov, feito de resina e de metal. O resultado ficou muito interessante, é só clicar.

Tango debaixo d’água

Katerina Bodrunova é uma fotógrafa russa com jeitinho de argentina. Em Underwater Tango, ela resgata essa tradicional dança em uma série de imagens mágicas, mostrando um casal debaixo d’água reproduzindo os passos de uma coreografia apaixonada e apaixonante.

Ilustras de Evan Hughes

Pra quem curte desenhos cartunescos, com traços fortes e cores vivas, o portfolio de Evan Hughes é um prato cheio. Inspirado por baleias azuis, casas em árvores, Bosch e criações em Lego de seu filho, o norte-americano tem um espírito jovem que transparece em suas ilustrações. Veja.

Manequim por Jerome Abramovitch

Bonecos de manequim nunca foram simpáticos. Na série Manequim, o fotógrafo Jerome Abramovitch usa partes dos corpos de manequins e partes de corpos de humanos para montar fotos estranhas e inquietantes. Em uma delas, talvez a mais perturbadora, o tronco de um homem de meia idade se apóia em uma escada e nas pernas de um manequim. Clique e confira.

That’s Why I’m Famous por Johnny Cheuk

Em sua série “That’s Why I’m Famous”, o ilustrador Johnny Cheuk cria um mix de cores formando rostos de pessoas famosas na mídia. O fundo de cada uma das imagens ilustra o motivo pelo qual a pessoa é famosa, no caso de Madonna o fundo lembra cores da TV, famosa por seus videoclipes. O fundo com caixas de som pertence a Ilustração de Michael Jackson, morto em 2009.

Pixel Distortion

Pixel Distortion é um projeto de tipografia experimental do designer Ruslan Khasanov. Apesar do visual diferente, a ideia é de uma simplicidade irritante: traços de água sobre uma tela de pixels RGB distorcem as cores e dão forma às letras do alfabeto. Clique e veja.

O humor ácido de Ben 6835

Usando um humor ácido, o ilustrador Ben 6835 faz ilustrações trágico-cômicas. Personagens queridinhos do público são assassinados por seus fiéis companheiros e suicídios são apenas algumas das situações ilustradas por Ben. Snoopy, o coelho de Alice e Mario não têm o final feliz que teriam se não tivessem sido ilustrados por Ben. Clique e veja.

Linguagens e metalinguagens

Nas pinturas do sueco Kristoffer Zetterstrand, vemos uma mistura alucinada entre linguagens e modos de representação. Fazendo uso recorrente da metalinguagem, o artista explora o que acontece quando ambientes criados virtualmente se quebram e revelam sua estrutura. Conheça seu trabalho.

Bulldogs humanizados

Ver fotos de cachorros humanizados circulando pela internet é bastante comum nos dias de hoje, com o avanço das câmeras digitais e a rápida transferência da máquina para o computador. Porém, algumas fotos de bulldogs humanizados com roupas de época e até mesmo cachimbos foram catalogadas na Biblioteca do Congresso americano. Além de poucas fotos, elas não têm uma “assinatura”, não se sabe quem teve paciência e talento para tirar essas incríveis fotos desses cãezinhos. Confira.